Post do Blog

controle de gastos e despesas

Despesas financeiras: O mal que deve ser corrigido

Existem alguns erros comuns que o empresário comete, que trazem consequências graves e até fatais para o seu negócio. Um desses erros é não lidar adequadamente com as despesas financeiras do seu negócio.

Você acompanha seu planejamento financeiro ao longo do ano? Realiza projeções de fluxo de caixa? Se a resposta for não, é muito provável que você já esteja perdendo o controle das suas despesas financeiras. Esse mal precisa ser corrigido o quanto antes, e é sobre isso que vamos falar nesse artigo.

O descontrole das despesas financeiras

Se você não tem uma gestão eficiente das finanças do seu negócio, as despesas financeiras saem do controle, e isso acaba levando ao endividamento e criando um ciclo vicioso.

Imagine, por exemplo, um empresário que não realiza projeções do fluxo de caixa. Quando quer comprar alguma coisa para a empresa, ele simplesmente vai e compra, sem considerar se vai ter caixa suficiente para cobrir esse gasto na data do vencimento.

O problema é que, com o tempo, ele acaba gastando mais do que deveria – e nem percebe. Então, chega ao ponto em que ele não tem dinheiro em caixa para cumprir com todas as suas obrigações. Isso é mais comum ainda naqueles meses em que existem despesas financeiras fora do padrão, como o final do ano, época do pagamento de 13º salário.

Nesse momento, o que esse empresário faz? Ele decide que é uma boa ideia fazer um empréstimo para pagar os gastos do seu negócio, como as compras de fornecedores e os salários dos funcionários.

À primeira vista, parece mesmo uma boa solução. No entanto, quando sua empresa assina um empréstimo, está assumindo mais uma obrigação; está criando mais uma despesa fixa. Então, se o caixa já estava em déficit com as despesas, a situação só piora.

Daqui a alguns meses, vai faltar dinheiro em caixa novamente, e o empresário vai precisar de outro empréstimo. A menos que seja tomada uma atitude para recuperar o controle das despesas financeiras, e das finanças do negócio em geral, esse caminho só pode levar a um desfecho: o fechamento das portas.

O controle das despesas financeiras

Você já viu qual é o cenário negativo, aquele que precisa ser evitado a todo custo na sua empresa. Agora, vamos ver o cenário positivo; o cenário de um negócio no qual os gastos estão sob controle.

O empresário desenvolve um planejamento financeiro adequado no começo do período. Esse documento não é só mais uma planilha que ele cria e depois esquece; pelo contrário, ele acompanha o planejamento ao longo do ano, usando como uma referência para tomar suas decisões.

Além disso, ele também projeta e acompanha o fluxo de caixa. Se você perguntar, esse empresário saberá dizer exatamente quanto dinheiro ele deverá ter em caixa daqui a duas semanas, ou dois meses. Por isso, ele sabe quando é possível contrair novas despesas e quando não é.

Graças a essa organização na gestão financeira do negócio, a empresa está sempre no azul, e nenhum empréstimo é feito por impulso. Quando ele faz algum empréstimo, é uma decisão coerente com a estratégia do negócio; e tem a certeza de que será capaz de pagar essa dívida sem comprometer suas outras despesas financeiras.

2 dicas para controlar as despesas financeiras

Esse cenário parece um paraíso? Quer trazê-lo para a sua empresa? Então, confira duas dicas práticas, mas eficazes, para controlar as despesas financeiras do seu negócio!

1. Adotar as ferramentas certas

A primeira dica já está presente em tudo que falamos até aqui: você precisa de um bom planejamento financeiro, isto é, um orçamento e de uma projeção do fluxo de caixa. Essas são as ferramentas mínimas.

Porém, não basta ter essas ferramentas; é preciso usá-las! Conforme já foi dito, fazer um orçamento e engavetá-lo é inútil. Você deve carregar ele no bolso, se puder, para que todas as decisões sejam tomadas sem esquecer do planejamento.

Por exemplo, sua equipe de marketing pode ter uma ideia muito interessante para uma nova campanha. Porém, antes de aprovar, você precisa ver se ela cabe no orçamento.

Uma máquina que você utiliza na sua empresa está disponível para compra, com um preço interessante? Só isso não é suficiente para decidir comprar; antes, verifique o orçamento.

O RH sugeriu contratar mais funcionários? Só depois de analisar o orçamento!

O mesmo vale para a projeção do fluxo de caixa. A cada nova despesa ou receita, ela precisa ser atualizada. Uma projeção desatualizada não tem nenhum valor, porque você não pode confiar nela para tomar decisões.

2. Antecipar os pagamentos

Quando você antecipa os pagamentos dos seus gastos, evita que problemas futuros e imprevistos prejudiquem o controle.

Imagine, por exemplo, que sua empresa tem uma despesa de R$1000 para ser paga em Junho. Você sabe que essa despesa existe e sabe que deverá ter caixa suficiente para realizar o pagamento. Ou seja, tudo está sob controle.

Em Abril, você termina o mês com um bom lucro. Seria mais do que suficiente para antecipar o pagamento da despesa de R$1000.

Porém, como tudo está sob controle, você decide que vai pegar esse dinheiro e investir, ou fazer uma compra à vista, ou pagar um bônus. Enfim, você gasta esse excedente e deixa a despesa de Junho para pagar em Junho.

Só que, quando chega Junho, um dos seus funcionários mais importantes precisa tirar uma licença por motivo de saúde, e você não tem alternativa: precisa contratar outra pessoa. Ou seja, o dinheiro em caixa já não é mais suficiente para pagar a despesa de R$1000 que já existia e mais os novos gastos decorrentes da contratação.

Então, para resolver o problema, você acaba fazendo um empréstimo, e cai naquele ciclo vicioso que apresentamos no começo do artigo. Percebeu? Se você tivesse feito o pagamento da despesa de R$1000 em Abril, o imprevisto não seria suficiente para desequilibrar as finanças.

Nesse artigo, você viu que é muito importante lidar adequadamente com os gastos do seu negócio e conferiu duas dicas práticas para mantê-los sob controle.

Agora, que tal aproveitar para aprender mais sobre o assunto? Nós preparamos um artigo sobre a separação entre despesas pessoais e despesas da empresa. Leia e aprenda porque é tão importante fazer essa divisão!

Deixe uma resposta